Minha lista de blogs

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

“CANTE PARA MIM E EU JAMAIS O ABANDONAREI”


Nascido na Bulgária e tendo estudado em Constantinopla, São João Coucouzèle (+ 1360), deixou o ofício de cantor, na corte do imperador bizantino, para se tornar monge no Monte Athos, situado ao norte da Grécia. No início, ele só cantava para as cabras e para os animais das colinas, que se amontoavam ao seu redor, para ouvi-lo. Porém, logo que seu talento foi descoberto, colocaram-no como dirigente do coro da Igreja.

Conta a história que, um dia, após uma longa sessão de canto, na vigília do hino Akathistos ─ cerimônia de louvores à Mãe de Deus, diante de seu ícone, realizada no quinto sábado da Quaresma ─ João adormeceu, na estala (cadeira de espaldar alto destinada aos eclesiásticos, no coro ou capela-mor de uma igreja). A Virgem lhe apareceu dizendo-lhe: Cante para mim e eu jamais o abandonarei. Em seguida, Maria colocou uma peça de ouro em sua mão. Ele despertou e constatou que a peça era real!

João Coucouzèle é um dos grandes hinógrafos ou compositores de música sacra da Igreja ortodoxa. Sua contribuição litúrgica é muito importante. O ícone de Maria, exposto no mosteiro diante do qual ele cantava e meditava, foi denominado Koukouzelissa, de acordo com o nome de seu bem-amado cantor. O ícone é celebrado no dia 1º de outubro, dia da festa do santo.

Informações do site do Monte Athos

E também em: Mont Athos: Notre-Dame, la Panaghia (Monte Athos: Nossa Senhora, a Panaghia)

A “PEQUENA LOURDES DA BRETANHA” NÃO PARA DE CRESCER


Por que o santuário de Nossa Senhora de Toute Aide (de Toda Ajuda), que se encontra na comuna de Prénessaye (França) é tão especial? Porque é o único lugar na Bretanha, autenticado pela Igreja, onde a Virgem Maria apareceu ─ relata Michel Hinault, há 25 anos membro da Associação dos Amigos do santuário de Querrien.

Eis a origem do santuário: no dia 15 de agosto de 1652, Jeanne Courtel, uma pastorinha de 11 anos, surda-muda e cega de nascença, que estava a cuidar do rebanho de seu pai, no prado dos Fontenelles, percebeu à sua volta, uma jovem e bela dama vestida de cetim branco. A bela dama pediu-lhe que lhe desse um carneiro. A menina, que nunca havia ouvido nem pronunciado uma só palavra, respondeu-lhe que aqueles carneiros não eram seus, mas de seu pai. Ela estava curada. A Igreja católica reconheceu oficialmente esta aparição. Em seguida, as autoridades diocesanas da época, em quatro anos, ergueram uma capela em Querrien ─ completou Michel Hinault.

Desde então ─ há 350 anos ─ o santuário de Prénessaye tornou-se um local de peregrinações, acolhendo, a cada ano, entre 70.000 e 90.000 fieis.

O mapa do mundo, colocado na entrada da capela, permitiu que as três religiosas que vivem no local, pudessem observar que, no ano passado, chegaram peregrinos de mais de 60 países. Durante o verão, as imediações do santuário de Nossa Senhora de Toda Ajuda estarão sob os cuidados de 300 voluntários da Associação dos Amigos do santuário.

Efetivamente, o fim de semana próximo ao dia 15 de agosto é tradicionalmente marcado por um importante “Perdão”, que atrai, todos os anos, cerca de 10 mil peregrinos. Neste ano, a cerimônia foi presidida por monsenhor Philippe Mousset, bispo de Périgueux et Sarlat (França). Menos de um mês, mais tarde, no dia 9 de setembro, um segundo “Perdão” aconteceu, atraindo, igualmente, grande número de pessoas.

Le Telegramme

"EU QUERO QUE VOCÊ FAÇA O MESMO QUE EU"


Em Champion (Wisconsin, EUA), no mês de outubro, de 1859, a Virgem Maria apareceu três vezes para Adèle Brise, jovem imigrante belga, de 28 anos. Esta foi a primeira das três aparições reconhecidas nos Estados Unidos.

No começo de outubro, Adele Brise viu a Virgem pela primeira vez: uma Senhora vestida de um branco deslumbrante, com uma faixa amarela na cintura e uma coroa de estrelas na cabeça. A visão desapareceu, lentamente, depois de alguns instantes, sem nada dizer. No domingo seguinte, 9 de outubro, Brise estava indo à Missa quando a Senhora retornou. Depois da Missa, a jovem teve a oportunidade de perguntar ao seu confessor sobre as aparições, e ele lhe disse que, se era uma mensageira do céu, ela a veria novamente. Ele a encorajou a perguntar-lhe, em nome de Deus, quem era e o que queria dela. No caminho de volta para casa, Nossa Senhora apareceu, novamente, e Brise fez o que seu confessor havia recomendado.

"Eu sou a Rainha do Céu, que reza pela conversão dos pecadores, e desejo que faças o mesmo ─ respondeu a Senhora à pergunta da jovem. Recebeste a Sagrada Comunhão nesta manhã e isso é bom. Mas deves fazer mais. Faze uma confissão geral e oferece a Comunhão pela conversão dos pecadores. Se não se converterem e não fizerem penitência, meu Filho vai ser obrigado a castigá-los."

A Senhora continuou: "O que fazes aqui, parada, enquanto tuas companheiras trabalham na vinha do meu Filho?" ─ "O que mais posso fazer, querida Senhora?", perguntou Brise. "Reúne as crianças deste país selvagem e mostra-lhes o que deveriam saber para salvar-se." ─ "Mas como lhes ensinarei o que eu mesma sei tão pouco?", replicou a moça. ─ "Ensina-lhes seu catecismo, como fazer o sinal da cruz e como se aproximar dos sacramentos; isso é o que eu desejo que faças ─ disse a Senhora. Vai e não tenhas medo. Eu te ajudarei."

A jovem fez o que Nossa Senhora pediu, e assim agiu até a sua morte, em 1986. O pai de Adele Brise construiu uma pequena capela no local das aparições, em Champion, como solicitara Nossa Senhora do Bom Socorro (Our Lady of Good Help).

Em 8 de dezembro de 2010, na festa da Imaculada Conceição, o Bispo David Ricken, Bispo de Green Bay, Wisconsin, emitiu um decreto oficial afirmando: “Declaro com certeza moral e de acordo com os padrões da Igreja que os eventos, aparências e frases dirigidas a Adele Brise, em outubro de 1859, manifestam a substância de um caráter sobrenatural e, consequentemente, reconheço essas aparições como dignas de serem acreditadas (mas sem obrigação) pelos fiéis cristãos”.

Chrétiens Magazine n° 245

O ROSÁRIO NOS FAZ ENTRAR NA SIMPLICIDADE DE DEUS


Pode parecer estranho que uma oração tão simples assim esteja particularmente associada aos Dominicanos. As pessoas não imaginam que os Dominicanos sejam pessoas simples... Nós temos a reputação de escrever obras de teologia longas e complexas. Entretanto, nós nos esforçamos para conservar o Rosário. Ele é a nossa herança. (...)

Mas, por que motivo esta simples oração é especialmente querida pelos Dominicanos? Talvez porque no coração da nossa tradição teológica, resida uma inspiração à simplicidade. São Tomás de Aquino dizia que nós não conseguimos compreender Deus, porque Deus é perfeitamente simples. (...) Existe uma falsa simplicidade, da qual devemos nos libertar. Trata-se da simplificação daqueles que, com muita facilidade, sempre encontram resposta para tudo, aqueles que tudo sabem com antecedência. Na verdade, eles são, ou muito preguiçosos, ou incapazes de pensar.

E existe a verdadeira simplicidade, a do coração, a simplicidade dos olhares claros, límpidos. E nós só conseguiremos chegar a esta verdade, lentamente, com a graça de Deus, aproximando-nos da ofuscante simplicidade de Deus. O Rosário é simples. Na verdade, bem simples, porém, trata-se de uma simplicidade sábia e profunda, à qual nós aspiramos, e na qual encontraremos a paz.

Fr. Timothy Radcliffe, o.p.

« Prier le Rosaire » (“Rezar o Rosário”), Conferência em Lourdes ─ outubro de 1998

O ROSÁRIO CONTÉM EM SI MESMO O PODER DA CURA !!!


Quando rezamos o Rosário, revivemos os momentos importantes e significativos da história da salvação; repercorremos as várias etapas da missão de Cristo. Com Maria, orientamos o coração para o mistério de Jesus.

Colocamos Cristo no centro da nossa vida, do nosso tempo, das nossas cidades, mediante a contemplação e a meditação dos seus santos mistérios de alegria, de luz, de sofrimento e de glória.

Que Maria nos ajude a acolher, em nós, a graça que emana destes mistérios, para que, através de nós, ela possa "irrigar" a sociedade, a partir das relações quotidianas, e purificá-la de tantas forças negativas, abrindo-a à novidade de Deus.

O Rosário, quando rezado de modo autêntico, não mecânico nem superficial, mas profundo, traz-nos, de fato, a paz e a reconciliação. Ele contém em si o poder capaz de restabelecer o Santíssimo Nome de Jesus, invocado com fé e com amor no centro de cada Ave-Maria.

Trecho do discurso do Papa Bento XVI,

Basílica de Santa Maria Maior, Sábado, 3 de Maio de 2008

NO DIA 9 DE OUTUBRO, A VIRGEM RETORNAVA À SUA CATEDRAL !!!


Em 29 de outubro de 1238, após 18 meses de cerco, os muçulmanos que ocupavam Valença, (Espanha), capitularam diante do rei Jaime I, de Aragão, cognominado “o Conquistador”.

Já, no dia 9 de outubro, seguinte, o rei mandou consagrar a grande mesquita, que fora construída sobre a antiga catedral visigótica, devolvendo-a ao culto católico, e dedicando-a a Virgem Maria.

Como lembrança daquele grande dia, o 9 de outubro, na mesma data, celebra-se, a cada ano, a festa das “glórias valencianas” (las Glorias valencianas). Um Te Deum é cantado na catedral. Podemos lamentar, porém, que, de três anos para cá, as autoridades municipais não participam da comemoração, devido ao laicismo político.

Por outro lado, em 2017, como responsabilidade sua, o cardeal Antonio Cañizares, arcebispo de Valência, presidiu a cerimônia, realçando, de forma precisa, em sua homilia: É com imensa alegria que estamos a celebrar o restabelecimento da fé católica em Valência, que havia sido eliminada do espaço público, sob o domínio do invasor muçulmano.

ELA PODE TUDO OBTER DE SEU FILHO!


O ano de 2018 é um ano especial para o santuário de Nossa Senhora do Laus (Alpes do Sul, França).

Efetivamente, neste ano, o santuário mariano comemora um triplo aniversário: o tricentenário do nascimento para o Céu, de Benedita Rencurel (1647-1718), a pastorinha que recebeu a visita da Virgem Maria, durante 54 anos, nas encostas da montanha do Laus; o 10º aniversário do reconhecimento oficial das aparições do Laus e, enfim, o 10º aniversário do festival mariano que ocorreu neste ano, de 21 a 26 de agosto de 2018!

Nesta ocasião, a comemoração havia proposto o retorno às fontes das mensagens do Laus, que são: a conversão e a cura.

Muitos foram os peregrinos que, na época de Benedita, receberam a graça da cura de suas enfermidades. Um número bem maior foi o das pessoas que viram suas vidas se transformarem, para sua felicidade e para a glória de Deus! Essas graças perduram até os nossos dias e só nos resta ir até a nossa Mãezinha do Céu, para poder obtê-las. Hoje, assim como há 300 anos, Maria nos convida a este ato de fé, a nos abandonarmos em suas mãos, deixando-lhe o campo livre. Não se esqueçam; ela pode tudo obter de seu Filho.

Então, tenham confiança e, como os primeiros peregrinos do Laus, venham acolher as graças imensas que Maria deseja distribuir neste lugar abençoado!

Francisco - Festival Mariano 2018

“EU ME CONSAGREI A ELA COMO SUA ESCRAVA PARA SEMPRE”


Margarida Maria Alacoque (1647-1690), nasceu em Verosvres, em Charolais (Bourgogne, França) e foi Monja Visitandina em Paray-le-Monial (1672). Mística, Santa Católica, famosa vidente do Sagrado Coração de Jesus. No dia 27 de dezembro de 1673, festa de São João Evangelista, Irmã Margarida Maria rezava, diante do santo Sacramento quando ouviu as palavras de Jesus:

“Meu divino Coração é tão apaixonado de amor pelos homens e por você, em particular, que não podendo mais conter em si mesmo, as chamas de sua ardente caridade, deve espalhá-las de todas as formas e que ele se manifeste a todos, para enriquecê-los com os seus preciosos tesouros que estou a lhe revelar e que contêm as graças santificantes e salutares necessárias para abolir o abismo da perdição; e eu a escolhi como um abismo de indignidade e de ignorância para o cumprimento deste grande desígnio, para que tudo seja feito por mim.”

Quando criança, Margarida fora curada de grave enfermidade, pela intercessão de Maria. Para agradecer a cura, no dia de sua confirmação, Margarida acrescentou o nome de “Maria” a “Margarida”:

“Eu ia até a Virgem Santíssima com tanta confiança, que sentia não ter nada a temer, sob a sua proteção materna. Eu me consagrei a ela como sua escrava para sempre, suplicando-lhe que não me recusasse esta qualidade. (...) Se passei a fazer parte da Visitação, foi porque me senti atraída pelo amabilíssimo nome de Maria. Eu tinha a certeza de que lá estava aquilo que eu buscava.”

A religiosa, atingida por grave enfermidade, foi curada pela Virgem Maria que lhe disse: “Tenha coragem, minha filha, estou lhe curando porque você ainda tem um longo e penoso caminho a seguir (...), mas não tema nada, eu lhe prometo a minha proteção”.

L’équipe de Marie de Nazareth

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

O MILAGRE MODERNO DE FÁTIMA !!!!


Enquanto os soldados das trincheiras da Primeira Guerra Mundial caíam sob o ataque de gases químicos e armas industriais, que foram a causa de verdadeira carnificina humana, o Anjo da Paz apareceu às três crianças de Fátima, em Portugal, com a seguinte mensagem:

"Não tenham medo. Eu sou o Anjo da Paz. Rezem comigo: ‘Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-vos, peço-vos perdão para os que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam’.” O anjo repetiu esta oração aos três pastorinhos, durante a primeira, de uma série de visitas, em 1916 e em 1917.

Quando a Virgem Maria apareceu a Lúcia, a Jacinta e a Francisco, em 13 de maio de 1917, ela pediu: “Rezem o terço todos os dias, para alcançarem a paz do mundo e o fim da guerra”.

A Grande Guerra terminou em 1918, mas a história e os segredos de Fátima perduraram, muito além da Primeira Guerra Mundial, até a queda do comunismo, em 1989. A Virgem Maria veio na aurora do século mais sangrento da história humana, com uma mensagem de paz e de oração.

Os acontecimentos de Fátima resumem a história do século XX, sob inúmeros aspectos. Hoje, um pedaço do "Muro de Berlim" encontra-se visível, na Praça de Fátima, erguido como um monumento permanente, testemunhando o elo entre as aparições de Fátima e os acontecimentos de 1989. A Revolução de Outubro dos bolcheviques ocorreu no mesmo ano em que aconteceu o "Milagre do Sol", em Fátima, e a Virgem pediu que o Papa consagrasse a Rússia a ela, Maria, em união com todos os bispos do mundo.

No museu de Fátima, pode-se ver o anel que o Papa são João Paulo II ofereceu a Nossa Senhora de Fátima, em gratidão por lhe ter salvado a vida, durante a tentativa de assassinato contra ele, em 13 de maio de 1981, coincidindo com o aniversário das aparições de Fátima. O Papa ofereceu, igualmente, a bala que quase lhe custou a vida, e cujo tamanho correspondia, exatamente, à coroa da estátua de Nossa Senhora de Fátima.

 (...) Fátima é, indubitavelmente, a mais profética das aparições modernas. A primeira e a segunda parte do Segredo fazem especial referência à visão assustadora do inferno, à devoção ao Imaculado Coração de Maria, à Segunda Guerra Mundial e, finalmente, à previsão das imensas devastações que a Rússia destinaria à humanidade, abandonando a fé cristã e abraçando o totalitarismo comunista.

Courtney Grogan

em Francês: Fátima, Portugal, 18 de julho de 2018 (CNA)

MARIA PEDE “A RESTAURAÇÃO DOS TEMPLOS VIVOS QUE SOMOS NÓS”


Segundo o testemunho do vidente Bernardo Martinez, humilde camponês da aldeia de Cuapa, na Nicarágua, as aparições da Virgem tiveram início no dia 8 de maio de 1980.

Ele havia decidido pescar às margens de um rio e, ao voltar, parou para rezar, sob uma árvore. Às 15h, viu uma claridade como se fosse um relâmpago e, a seguir, “uma bela senhora, com os pés descalços, vestida de branco, um cinturão azul e uma túnica cor de creme, pálido, bordada em ouro nas extremidades. Raios de luz, mais fortes do que o sol, jorravam de suas mãos (...).

─ Perguntei-lhe, então, de onde ela vinha. E ela respondeu:

─ Eu sou a Mãe de Jesus...

─ O que a senhora deseja de mim?

─ Desejo que você reze o terço todos os dias... Não somente neste mês de maio, mas sempre. Desejo que você reze em família e que transmita esta mensagem a todas as pessoas.”

A Igreja católica da Nicarágua aprovou as aparições (aval de Monsenhor P. A. Vega, firmado em 13 de novembro de 1982).

Após a primeira aparição, outras se seguiram: no dia 16 de maio de 1980, a Virgem incentivou Bernardo a divulgar mais e mais as mensagens. “Não tenha medo. Eu vou ajudá-lo. Conte para o Padre”. No dia 8 de setembro do mesmo ano, a Virgem Maria se apresentou como uma menininha. “Eu vi uma menina, belíssima! Tudo nela irradiava luz. Ela parecia ser a Nossa Senhora, mas era, apenas, uma menina.” Nesta última aparição, a Virgem Maria pediu “a restauração dos templos vivos que nós somos” e insistiu para que a paz fosse construída: “Amai-vos uns aos outros. Perdoai-vos uns aos outros, busquem a paz; não peçais, apenas, a paz, mas fazei a paz.”

No dia 13 de outubro de 1980, ocorreu a última aparição da Virgem Maria a Bernardo. Alguns anos depois, o santuário da Virgem de Cuapa, na Nicarágua, foi erigido no local onde se deram as aparições.

L’équipe de Marie de Nazareth