Minha lista de blogs

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

A MARCA DO JOELHO DA VIRGEM MARIA, DESTE AQUELE DIA, FICOU SEMPRE VISÍVEL NO CHÃO !!!




Por volta do ano 450, São Severo, originário da Síria, e seus companheiros, viviam retirados num eremitério, não distante de Agde, no Héraut (costa sul da França). Um dia, uma tempestade de força espantosa atingiu as costas. Os monges rezavam e um deles viu a Virgem Maria, ajoelhada sobre um rochedo. Naquele momento, a tempestade se acalmou.

Uma capela foi construída sobre o local onde a Virgem Maria havia ajoelhado, exatamente na rocha em que as marcas de seus joelhos ficaram gravadas. A partir de então, Nossa Senhora Genuflexa ou Ajoelhada, em Grau, ou Nossa Senhora do Grau, tornou-se importante lugar de peregrinação, sobretudo, porque fica num dos caminhos de Santiago de Compostela. A marca dos joelhos da Virgem Maria mantém-se visível, na capela da Ajoelhada, no centro da Nave.

Foram os padres capuchinhos que, logo depois, ergueram quinze capelas sobre o caminho que vai de Agde até Nossa Senhora do Grau, e cada uma representando um Mistério da Paixão de Cristo. O sucesso das peregrinações foi imenso, desde então.

A revolução Francesa destruiu todas as capelas e as peregrinações para Nossa Senhora da Ajoelhada só puderem recomeçar no século XIX, sob o impulso dos Penitentes brancos.

Nossa Senhora da Ajoelhada é comemorada, sempre, no dia 2 de agosto.

O EREMITA REZAVA DIANTE DA IMAGEM DA VIRGEM MARIA


No fim do século XVII, um bom eremita que vivia no norte da França estava tomado pelas tentações. O demônio lhe disse: Os tormentos que provoco em você não são nada em comparação com o que você me faz sofrer. Jura que você vai guardar este segredo e eu lhe direi o que você deve fazer para que eu o deixe tranquilo.

Assim que o bom eremita aceitou a proposta do maligno, este lhe disse: Eu quero que você não olhe mais para aquela imagem que está na sua cela! Tratava-se da imagem da Virgem Maria, diante da qual o Solitário fazia as suas orações... Desde então, foi com um fervor bem mais forte que o bom eremita continuou a rezar a Nossa Senhora, aos pés da sua imagem!

O demônio, desmoralizado, abandonou o eremita para sempre.

Segundo Le chapelet des enfants (O terço das crianças)

segunda-feira, 23 de julho de 2018

O DEMÔNIO COMEÇOU A GRITAR: EU TENHO QUE ME QUEIXAR DE UMA MULHER


Após a morte de seu filho, santa Brígida foi transportada para um amplo e magnífico palácio. Ela viu Jesus Cristo, sentado em seu tribunal, e rodeado por uma considerável corte formada por Anjos e Santos. Ao lado d´Ele estava a sua Mãe Santíssima, que ouvia, atentamente, o julgamento.

Aos pés do Juiz, sob a forma de um recém-nascido, ela percebeu a alma de um defunto a tremer, sem poder ouvir ou entender o que estava ocorrendo, mas tendo uma percepção íntima do que acontecia. 

A direita do Juiz, e próximo à alma, estava um Anjo; o demônio se mantinha à esquerda. Porém, nenhum dos dois se aproximava da alma.

O demônio, então, se pôs a gritar: “Escutai, Juiz todo-poderoso. Eu tenho que apresentar queixa sobre uma mulher que é, ao mesmo tempo, Soberana e vossa Mãe, à qual vosso amor deu o poder absoluto sobre o céu e a terra, e sobre nós, demônios do inferno. Ela, injustamente, me arrebatou a alma que está diante de vós. Pois, em boa justiça, eu tinha o direito de me amparar dela, no momento de sua saída do corpo, e de levá-la com meus companheiros, diante do vosso tribunal. Ora, ó justo Juiz, a alma nem tinha ainda saído do corpo ─ assim dizendo ─ quando esta mulher, que é vossa Mãe, pegou-a, cobrindo-a com a sua poderosa proteção, e vo-la apresentou”.

A bem-aventurada Virgem Maria, Mãe de Deus assim respondeu: “Ouve, Satã, a minha resposta: Quando saíste das mãos do Criador, tinhas a inteligência da justiça, que está em Deus, desde a eternidade e sem início. Tiveste, igualmente, a liberdade de agir segundo a tua vontade e, apesar de teres preferido odiar a Deus, em vez de oferecer-lhe o teu coração, sabes, no entanto o que exige a justiça.

Ora, eu te digo que, esta missão, a de apresentar esta alma a Deus, seu Juiz, é muito mais minha do que tua, pois, durante a sua passagem na terra, ela me testemunhou grande afeto; ela se alegrava ao lembrar que Deus dignou-se me escolher como sua Mãe, e que Ele quis me exaltar acima de todas as criaturas. Ponderando sobre os privilégios com os quais Deus quis me honrar, chegava-lhe a inspiração tal amor, que ela se dizia a si mesmo, com frequência: ‘Eu sou tão feliz de ver a Santíssima Virgem Maria, mais amada por Deus do que todas as outras criaturas, que, por nada neste mundo, eu abriria mão da alegria que sinto (...)’.

Vê, Satã, em que disposições este homem morreu. O que te parece, então? Não seria justo que eu envolvesse esta alma com a minha proteção, diante do tribunal de Deus, em vez de deixá-la cair em tuas mãos para partilhar os teus suplícios?...”


Em Vida de Santa Brígida, livro 2, capítulo 31

FONTE: Em Vie de sainte Brigitte (Vida de Santa Brígida), tomo II capítulo XXXI

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Consagração ao Imaculado Coração de MARIA em um dos maiores eventos religiosos jamais organizados na América do Norte


O Canadá foi, mais uma vez, consagrado à Virgem Maria, no dia 26 de setembro de 2017, e o desígnio era o de confiar a nação ao Coração Imaculado da Virgem. O país já havia sido consagrado à Mãe Imaculada, por ocasião de um congresso mariano, ocorrido em 1947. Em Ottawa, esta reunião havia atraído centenas de milhares de peregrinos, tornando-se um dos maiores eventos religiosos jamais vistos ou organizados na América do Norte.

Provavelmente, havia menos fieis em 2017, porém o fervor estava fortemente presente no congresso mariano daquele ano. O Cardeal Gerald Lacroix, Arcebispo de Quebec e Primaz do Canadá, o Cardeal Marc Ouellet, Prefeito da Congregação para os Bispos, e o Cardeal Thomas Collins, Arcebispo de Toronto, presidiram, junto a mais de 80 Bispos e Eparcas, o Ato de Consagração do país ao Imaculado Coração de Maria. O ato solene foi celebrado no dia 26 de setembro, coincidindo com o aniversário de 150 anos da existência do país e 70 anos da primeira consagração do mesmo à Mãe de Deus.

“Maria, Mãe nossa, coloque nosso país, Canadá, no Santuário de teu Coração Santo porque sabemos que ali encontraremos Jesus, que vive e reina com o Pai, na unidade do Espírito Santo, pelos séculos dos séculos”. (...)

A Eucaristia foi presidida pelo Arcebispo de Ottawa, Dom Terrence Prendergast, e a homilia, pregada pelo Cardeal Lacroix.

"O que poderia oferecer a Igreja ao país, neste aniversário de 150 anos?", perguntou o Bispo de Hamilton, Dom Douglas Crosby, em diálogo com The Catholic Register. "Não há nada mais belo que a oração de Consagração à Nossa Senhora. Estou muito feliz por isto". O Núncio Apostólico no Canadá, Dom Luigi Bonazzi, havia felicitado os Bispos, por esta decisão, em sua Assembleia Plenária. “Que esta consagração faça com que seus corações se inflamem com o amor que brilha, desde o Imaculado Coração da Mãe de Jesus”, desejou. (EPC)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org (Aleteia)

segunda-feira, 2 de julho de 2018

A FONTE MILAGROSA DO "CÁRCERE MAMERTINO" ou "CÁRCERE DE SÃO PEDRO" !!!!





O Registro histórico de uma prisão de reis, atesta a inexistência de uma fonte, justamente porque o presos não poderiam ter nenhum recurso interno para prisioneiros especiais.

“Carcere Mamertino”, ou “cárcere de São Pedro”, foi a “prisão de Estado” do antigo Império Romano.

Lá ficaram presos antes de morrer reis e potentados da terra derrotados pelas legiões romanas, como Vercingetorix, chefe bárbaro da Gália (França); Jugurta, rei da Numídia; Pôncio rei dos Sannitas e muitos outros.

Porém, esse cárcere ficou mais famoso por ter aprisionado os Apóstolos São Pedro e São Paulo, nos tempos de Nero. São Pedro, notadamente, ali operou milagres históricos.

Entre esses está a impressão miraculosa da testa do Vigário de Cristo numa parede. O cárcere foi cavado numa camada de pedra vulcânica conhecida como ‘tufo’.

Quando São Pedro descia pela estreita escada ainda hoje usada foi brutalmente empurrado pelos algozes e bateu no muro. A pedra amoleceu e parte de seu rosto ficou impresso, e ali pode ser visto e venerado.

Aquela escada era uma autêntica “descida aos infernos” pois do andar inferior habitualmente nunca mais se saía.

Os prisioneiros morriam de frio, fome e doença, ou eram jogados num fosso onde faleciam destroçados.

Naquele antro escuro desapareciam, após serem exibidos como troféus, reis e chefes de Estado inimigos de Roma.

“Dessa maneira, eram abandonados às potências dos infernos, tragados pela terra e cancelados da existência. Não existem outros exemplos comparáveis”, observa a Dra. Patrizia Fortini, arqueóloga da Superintendência para os bens arqueológicos de Roma, que dirige os trabalhos de restauração empreendidos a partir de 1985, segundo noticiou o jornal italiano La Repubblica.

O ambiente é abafado. O teto muito baixo comunica uma sensação apavorante reforçada pelas grades de ferro negro que ainda perduram.

Nesse porão sem janelas, úmido e fétido, São Pedro converteu os carcereiros Processo e Martiniano, posteriormente mártires, e 47 prisioneiros.

Não tendo água para batizá-los fez brotar uma fonte do chão. Por fim, São Pedro foi liberto por um anjo.

As correntes que o prendiam hoje são veneradas como relíquias na igreja próxima de San Pietro ai Vincoli(São Pedro das correntes).

Os arqueólogos retiraram diversos pisos modernos e renascentistas e deixaram aparente o chão do tempo que São Pedro passou pela prisão.

Os trabalhos revelaram afrescos dos séculos XII e XIV inteiramente desconhecidos. Também foi possível localizar a comunicação que unia a prisão ao prédio do Senado enfrente ao “cárcere de São Pedro”.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

EM AVEYRON, ENCONTRA-SE UM FRAGMENTO DO SANTO VÉU DE MARIA !!!


Coupiac (comuna de l’Aveyron, França) possui, já há algum tempo, não inferior a cinco séculos, pelo menos, um considerável fragmento de um véu, que a tradição sempre considerou como tendo pertencido à Virgem Santíssima. A festa oficial de Nossa Senhora do Santo Véu acontece, sempre, no segundo domingo após a Páscoa.

A capela Nossa Senhora de Massiliergues se encontra a 800 metros, ao norte de Coupiac,: nela encontrava-se escondido o Santo Véu, que fora enterrado na areia, durante as Guerras de Religião, no século XVI. Pessoas piedosas conseguiram recuperar a santa relíquia das mãos dos protestantes que haviam devastado a região. As pessoas que a salvaram, esconderam-na no terreno ao lado do cemitério da paróquia. Elas pretendiam resgatá-la após a guerra, mas a morte as impediu. O lugar permaneceu secreto e a relíquia foi esquecida.

A tradição conta que um touro da aldeia vizinha, raspava, continuamente, a terra em volta do cemitério, proferindo gemidos extraordinários. Este touro não se alimentava; entretanto, era muito gordo. Intrigados, os habitantes cavaram aquele lugar. Apesar da umidade e da permanência bem prolongada sob a terra, a relíquia estava em perfeito estado de conservação.

Em 1968, um oratório, destinado a receber o relicário de cobre dourado contendo o Santo Véu, foi acomodado numa dependência do presbitério. A relíquia teria a particularidade de curar os olhos de pessoas com problemas oftalmológicos.

Fonte: Coupiac

domingo, 17 de junho de 2018

AS MISSAS SIMULTÂNEAS, EM MESMA IGREJA NA FORMA EXTRAORDINÁRIA DO RITO ROMANO !!!


Esta é uma foto de várias Missas sendo celebradas simultaneamente. Muitas pessoas não entendem, acham estranho, na verdade, nunca sequer viram tal acontecimento, mesmo nas Paróquias tradicionais.

Na legenda da foto sabemos que esta capela fica no Oratório de São Francisco de Sales, Instituto Cristo Rei, Misuri (Estados Unidos).

As Missas simultâneas na Forma Extraordinária do Rito Romano são a prática comum quando vários sacerdotes precisam celebrar a Santa Missa, pois no Rito antigo da Igreja não há concelebração. Mas o que queríamos aqui era chamar atenção para alguns detalhes da foto:

1º - Cada sacerdote celebra a Santa Missa separadamente, como é evidente pela foto, cada altar é como se fosse uma capela separada, única.

2º - O ritual da Missa privada (ou seja, celebrada sem assistência do povo) essencialmente não muda como, por exemplo, acontece na Forma Ordinária. O Padre celebra a Missa normalmente, com todas as cerimônias, inclusive as saudações ao povo às quais o coroinha responde (e na falta dele o próprio Padre responde). Igualmente ele dá a bênção final. Nisso (que alguns podem não ver sentido) podemos ver o caráter público da Santa Missa. A Missa é pública não em relação ao público, mas em relação ao seu caráter salvífico, ação salutar e abrangência dos méritos de Nosso Senhor que irradiam desde o altar e alcança toda a Igreja.

3º - Tendo dito isso, entende-se porque cada altar, mais ou menos simples, deve ser composto de todos os seus elementos: três toalhas, pedra d’ara, crucifixo, duas velas e tudo o mais que se exige para a Santa Missa.

4º - Chama a atenção o detalhe do barrete no chão. A rubrica do Missal de 1962 manda que o sacerdote se dirija ao altar com a cabeça coberta (se é secular, coberto com o barrete, se é religioso, com o amito). Não há distinção, se o padre tem coroinha ou não, se tem povo ou não, apenas diz que cubra a cabeça.

Na vida de muitos Santos vemos episódios em que são citadas estas Missas simultâneas, inclusive com a assistência do povo. Em tudo isso vemos a maravilha que é a tradição da Igreja, guardada e transmitida ao longo dos séculos.

terça-feira, 12 de junho de 2018

ELES SE OFERECIAM COMO PENHOR PARA A LIBERDADE DOS PRISIONEIROS!



No dia 23 de março de 2018, o coronel Arnaud Beltrame, tendo dado a sua vida para libertar um refém de um islamita, restabeleceu, com o seu gesto, as duas ordens de religiosos “Redentoristas” fundadas no início do século XIII por dois franceses, para libertar os cativos dos Bárbaros: são elas, a ordem da Santíssima Trindade para a Redenção dos Cativos e a ordem da Bem-aventurada Virgem Maria da Mercê, também conhecidas como a ordem dos Mercedários e a ordem dos Trinitários. Duas congregações que existem até hoje.

Em 1194, o provençal Jean de Mata, que nasceu em Barcelonnette (Alpes Franceses), teve uma visão, em que apareciam dois escravos acorrentados; um cristão e um muçulmano. Ele obteve do Papa Inocente III, a autorização para fundar uma comunidade voltada a libertá-los. Entre o início do século XIII e o término do século XVIII, a ordem trinitária conseguiu resgatar 40.000 prisioneiros! Quanto aos mercedários, eles acabam de comemorar seu 800º aniversário e receberam uma mensagem do Papa por esta celebração. O Papa convidou os religiosos a seguirem o exemplo de Maria, criando um elo entre “a humildade e a simplicidade de uma vida reclusa, completamente dedicada a Deus” e “o sacrifício dos antigos padres redentores, que se ofereciam como reféns em troca da liberdade dos prisioneiros”.

Os membros dos Mercedários somavam, aos três votos habituais da ordem, o de pobreza, de castidade e de obediência, um quarto voto. Eles formularam um voto de se entregar, como último recurso, a si mesmos, para libertar prisioneiros que não teriam ninguém que pagasse o seu resgate. Grandes personalidades honraram este compromisso: São Serapião da Argélia ─ arrancaram-lhe as vísceras, partiram seus membros e o estrangularam ─, em 1240; São Pedro Armengol, pendurado na forca, em 1266, e São Raimundo Nonato, martirizado, igualmente, em 1240.

Fonte: La Vie (A Vida)

Em Bahreïn, Nossa Senhora da Arábia…



Daqui a alguns dias, será inaugurada, em Bahrein (uma das monarquias petroleiras do Golfo pérsico), a construção de uma grande catedral, capaz de acolher mais de 2 mil fieis, num país que conta hoje, com aproximadamente 80.000 católicos. Segundo Monsenhor Camilo Ballin, vigário apostólico da Arábia do Norte, os trabalhos deveriam durar quatro anos. Assim, a partir do ano 2021, a catedral que será colocada sob a proteção de Nossa Senhora da Arábia, irá testemunhar a presença cristã sobre o solo muçulmano, de uma das mais poderosas monarquias petroleiras.

Se o Islã domina enormemente a paisagem política e religiosa de Bahrein ─ onde sobrepuja a religião do Estado e a Sharia (lei islâmica), fonte de todo o direito ─ existe, entretanto, um pouco mais de 8% de cristãos no Bahrein. E este número está em pleno crescimento: nos países onde existe o vicariato apostólico (Qatar, Arábia Saudita, Kuwait), as populações cristãs representam milhões, precisa Monsenhor Ballin. A grande maioria desses cristãos se oriunda da imigração, especialmente os filipinos, e muitos deles, indianos. Trazidos e somados à população, a imigração foi provocada pela forte necessidade de mão de obra no país, que construiu sua riqueza fundamentada no petróleo.

Nossa Senhora da Arábia tem, igualmente, a ambição de se tornar um polo de formação espiritual. Os padres poderão, por exemplo, acompanhar retiros ou, mesmo, ministrar cursos de catecismo. (...) Esta catedral responde, então, a uma verdadeira necessidade espiritual.

Podemos visualizar, nesta iniciativa, o sinal de abertura do Reino de Barhein ao pluralismo religioso.

Fonte: Aleteia

O Grande EME de Maria, pedalando pela França !!!


De 14 de julho (festa nacional da França) a 15 de agosto de 2018 (antiga data nacional francesa e festa da Assunção), jovens, de 20 a 35 anos irão, de bicicleta, pela segunda vez, refazer o caminho do “M” de Maria, formado pelas aparições da Virgem Maria no século XIX, na França (Lourdes, Pontmain, Pellevoisin, rue du Bac e La Salette).

Trata-se de um ato de fé para a França, onde os peregrinos-ciclistas seguem os passos da Virgem Santíssima. A Mãe do Cristo vela, de modo especial, pela França, já há alguns séculos e nós queremos recolocar o nosso país sob a sua materna proteção, para que ela possa interceder pela França junto a seu Filho Jesus Cristo.

O dia 17 de janeiro de 1871, foi um dia especialmente sombrio para a história da França. Paris estava sitiada e as tropas em retirada. O bispo de São Brieuc, desesperado, fez um voto solene a Nossa Senhora da Esperança para que ela salvasse a sua pátria, ordenando que o mesmo voto fosse lido na capital, às seis horas da tarde. Em Pontmain, naquele mesmo dia, a Bela Senhora disse aos videntes: “Mas rezai, meus filhos, Deus, vos atenderá dentro em breve. Meu filho se deixa enternecer”.

Como Deus passa, através de Maria, para se revelar e para caminhar conosco, nós devemos passar, através de Maria, nossa mãezinha do Céu, para chegar ao nosso Pai que tanto nos ama. Foi graças a São Luiz Maria Grignion de Montfort e à sua obra, Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria, que nós nos demos conta da importância de Maria junto a Jesus. São Luiz de Montfort escreveu: “O Cristo vencerá por meio da Virgem Maria”

Clarisse, para le Grand AIME de Marie (O grande EME de Maria)

Para participar da peregrinação pela oração.