Minha lista de blogs

domingo, 17 de junho de 2018

AS MISSAS SIMULTÂNEAS, EM MESMA IGREJA NA FORMA EXTRAORDINÁRIA DO RITO ROMANO !!!


Esta é uma foto de várias Missas sendo celebradas simultaneamente. Muitas pessoas não entendem, acham estranho, na verdade, nunca sequer viram tal acontecimento, mesmo nas Paróquias tradicionais.

Na legenda da foto sabemos que esta capela fica no Oratório de São Francisco de Sales, Instituto Cristo Rei, Misuri (Estados Unidos).

As Missas simultâneas na Forma Extraordinária do Rito Romano são a prática comum quando vários sacerdotes precisam celebrar a Santa Missa, pois no Rito antigo da Igreja não há concelebração. Mas o que queríamos aqui era chamar atenção para alguns detalhes da foto:

1º - Cada sacerdote celebra a Santa Missa separadamente, como é evidente pela foto, cada altar é como se fosse uma capela separada, única.

2º - O ritual da Missa privada (ou seja, celebrada sem assistência do povo) essencialmente não muda como, por exemplo, acontece na Forma Ordinária. O Padre celebra a Missa normalmente, com todas as cerimônias, inclusive as saudações ao povo às quais o coroinha responde (e na falta dele o próprio Padre responde). Igualmente ele dá a bênção final. Nisso (que alguns podem não ver sentido) podemos ver o caráter público da Santa Missa. A Missa é pública não em relação ao público, mas em relação ao seu caráter salvífico, ação salutar e abrangência dos méritos de Nosso Senhor que irradiam desde o altar e alcança toda a Igreja.

3º - Tendo dito isso, entende-se porque cada altar, mais ou menos simples, deve ser composto de todos os seus elementos: três toalhas, pedra d’ara, crucifixo, duas velas e tudo o mais que se exige para a Santa Missa.

4º - Chama a atenção o detalhe do barrete no chão. A rubrica do Missal de 1962 manda que o sacerdote se dirija ao altar com a cabeça coberta (se é secular, coberto com o barrete, se é religioso, com o amito). Não há distinção, se o padre tem coroinha ou não, se tem povo ou não, apenas diz que cubra a cabeça.

Na vida de muitos Santos vemos episódios em que são citadas estas Missas simultâneas, inclusive com a assistência do povo. Em tudo isso vemos a maravilha que é a tradição da Igreja, guardada e transmitida ao longo dos séculos.

terça-feira, 12 de junho de 2018

ELES SE OFERECIAM COMO PENHOR PARA A LIBERDADE DOS PRISIONEIROS!



No dia 23 de março de 2018, o coronel Arnaud Beltrame, tendo dado a sua vida para libertar um refém de um islamita, restabeleceu, com o seu gesto, as duas ordens de religiosos “Redentoristas” fundadas no início do século XIII por dois franceses, para libertar os cativos dos Bárbaros: são elas, a ordem da Santíssima Trindade para a Redenção dos Cativos e a ordem da Bem-aventurada Virgem Maria da Mercê, também conhecidas como a ordem dos Mercedários e a ordem dos Trinitários. Duas congregações que existem até hoje.

Em 1194, o provençal Jean de Mata, que nasceu em Barcelonnette (Alpes Franceses), teve uma visão, em que apareciam dois escravos acorrentados; um cristão e um muçulmano. Ele obteve do Papa Inocente III, a autorização para fundar uma comunidade voltada a libertá-los. Entre o início do século XIII e o término do século XVIII, a ordem trinitária conseguiu resgatar 40.000 prisioneiros! Quanto aos mercedários, eles acabam de comemorar seu 800º aniversário e receberam uma mensagem do Papa por esta celebração. O Papa convidou os religiosos a seguirem o exemplo de Maria, criando um elo entre “a humildade e a simplicidade de uma vida reclusa, completamente dedicada a Deus” e “o sacrifício dos antigos padres redentores, que se ofereciam como reféns em troca da liberdade dos prisioneiros”.

Os membros dos Mercedários somavam, aos três votos habituais da ordem, o de pobreza, de castidade e de obediência, um quarto voto. Eles formularam um voto de se entregar, como último recurso, a si mesmos, para libertar prisioneiros que não teriam ninguém que pagasse o seu resgate. Grandes personalidades honraram este compromisso: São Serapião da Argélia ─ arrancaram-lhe as vísceras, partiram seus membros e o estrangularam ─, em 1240; São Pedro Armengol, pendurado na forca, em 1266, e São Raimundo Nonato, martirizado, igualmente, em 1240.

Fonte: La Vie (A Vida)

Em Bahreïn, Nossa Senhora da Arábia…



Daqui a alguns dias, será inaugurada, em Bahrein (uma das monarquias petroleiras do Golfo pérsico), a construção de uma grande catedral, capaz de acolher mais de 2 mil fieis, num país que conta hoje, com aproximadamente 80.000 católicos. Segundo Monsenhor Camilo Ballin, vigário apostólico da Arábia do Norte, os trabalhos deveriam durar quatro anos. Assim, a partir do ano 2021, a catedral que será colocada sob a proteção de Nossa Senhora da Arábia, irá testemunhar a presença cristã sobre o solo muçulmano, de uma das mais poderosas monarquias petroleiras.

Se o Islã domina enormemente a paisagem política e religiosa de Bahrein ─ onde sobrepuja a religião do Estado e a Sharia (lei islâmica), fonte de todo o direito ─ existe, entretanto, um pouco mais de 8% de cristãos no Bahrein. E este número está em pleno crescimento: nos países onde existe o vicariato apostólico (Qatar, Arábia Saudita, Kuwait), as populações cristãs representam milhões, precisa Monsenhor Ballin. A grande maioria desses cristãos se oriunda da imigração, especialmente os filipinos, e muitos deles, indianos. Trazidos e somados à população, a imigração foi provocada pela forte necessidade de mão de obra no país, que construiu sua riqueza fundamentada no petróleo.

Nossa Senhora da Arábia tem, igualmente, a ambição de se tornar um polo de formação espiritual. Os padres poderão, por exemplo, acompanhar retiros ou, mesmo, ministrar cursos de catecismo. (...) Esta catedral responde, então, a uma verdadeira necessidade espiritual.

Podemos visualizar, nesta iniciativa, o sinal de abertura do Reino de Barhein ao pluralismo religioso.

Fonte: Aleteia

O Grande EME de Maria, pedalando pela França !!!


De 14 de julho (festa nacional da França) a 15 de agosto de 2018 (antiga data nacional francesa e festa da Assunção), jovens, de 20 a 35 anos irão, de bicicleta, pela segunda vez, refazer o caminho do “M” de Maria, formado pelas aparições da Virgem Maria no século XIX, na França (Lourdes, Pontmain, Pellevoisin, rue du Bac e La Salette).

Trata-se de um ato de fé para a França, onde os peregrinos-ciclistas seguem os passos da Virgem Santíssima. A Mãe do Cristo vela, de modo especial, pela França, já há alguns séculos e nós queremos recolocar o nosso país sob a sua materna proteção, para que ela possa interceder pela França junto a seu Filho Jesus Cristo.

O dia 17 de janeiro de 1871, foi um dia especialmente sombrio para a história da França. Paris estava sitiada e as tropas em retirada. O bispo de São Brieuc, desesperado, fez um voto solene a Nossa Senhora da Esperança para que ela salvasse a sua pátria, ordenando que o mesmo voto fosse lido na capital, às seis horas da tarde. Em Pontmain, naquele mesmo dia, a Bela Senhora disse aos videntes: “Mas rezai, meus filhos, Deus, vos atenderá dentro em breve. Meu filho se deixa enternecer”.

Como Deus passa, através de Maria, para se revelar e para caminhar conosco, nós devemos passar, através de Maria, nossa mãezinha do Céu, para chegar ao nosso Pai que tanto nos ama. Foi graças a São Luiz Maria Grignion de Montfort e à sua obra, Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria, que nós nos demos conta da importância de Maria junto a Jesus. São Luiz de Montfort escreveu: “O Cristo vencerá por meio da Virgem Maria”

Clarisse, para le Grand AIME de Marie (O grande EME de Maria)

Para participar da peregrinação pela oração.

COM A AJUDA DE MARIA, VAMOS NOS CONSAGRAR AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS


Na Encíclica Annum sacrum, o papa Leão XIII confirmou o que havia sido concluído por seus predecessores, visando proteger, religiosamente, e esclarecer com luz divina o culto e a espiritualidade do Sagrado Coração. Pedindo que fossem consagrados, não somente os crentes, mas igualmente, todos os homens, ele dava uma nova orientação e um novo sentido à consagração que já havia sido colocada em prática, havia séculos.

Eis o motivo pelo qual a consagração da espécie humana ao Coração de Jesus foi apresentada por Leão XIII como “a plenitude e o coroamento de todas as honras que costumamos dar ao Sagrado Coração de Jesus”. (...)

A consagração do gênero humano, de 1899, constitui um passo fundamental no caminho da Igreja e é sempre plausível renová-la, a cada ano, na festa do Sagrado Coração (...)

Invoquemos a Santíssima Virgem, Mãe do Cristo e Mãe da Igreja. Que Ela ajude, especialmente, cada cristão, a viver com generosidade e coerência a consagração a Cristo que tem seu fundamento no sacramento do Batismo e que encontra uma generosa confirmação na consagração pessoal ao Sagrado Coração.

São João Paulo II, Papa

Varsóvia, 11 de junho de 1999, solenidade do Sagrado Coração de Jesus.

A CHINA FOI CONFIADA PUBLICAMENTE A MARIA EM 1924


O santuário de Maria Auxiliadora dos Cristãos de Zo-sé usufrui de uma importância internacional, e está situado no coração da China católica, sobre uma colina, distante alguns quilômetros de Xangai.
Em 1844, um missionário, ao descobrir um templo de Buda em ruínas, pensou em colocar um santuário para Nossa Senhora naquele lugar. Ele conseguiu realizar o seu sonho, em 1867 e, a partir de então, começaram as peregrinações ao santuário.
Em 1924, o Delegado Apostólico da China, todos os bispos e inúmeros sacerdotes, foram até o templo para consagrar a China à Virgem Maria. O santuário atual, inaugurado em 1935, foi declarado Basílica Menor pelo Papa Pio XII, em 1942. Após a vitória militar de Mao Tse-Toung, o santuário foi profanado e manteve-se fechado durante vinte anos. Porém, a coragem de mais de trinta mil peregrinos, reverteu a situação.
Em 1978, entre os dias 15 e 17 de março, os peregrinos penetraram no interior do santuário (ainda em ruínas) e lá colocaram uma pequena estátua da Virgem Maria. As autoridades não puderam intervir porque a ação havia sido realizada sem qualquer distúrbio. Assim, reaberto ao culto, o santuário foi confiado aos padres da Igreja nacional, então, separada de Roma. Em 1990, uma estátua de Nossa Senhora Auxiliadora, trazida de Turim, foi levada ao santuário.

Attilio Galli, Madre della Chiesa nei cinque continenti, Ed. Segno, Udine, 1997, p. 395-418
Mariedenazareth.com

quarta-feira, 6 de junho de 2018

ELE REZAVA À NOSSA SENHORA COM GRATIDÃO


Na sexta-feira, 23 de março de 2018, o Tenente-coronel da gendarmaria, Arnaud Beltrame, de 44 anos, para salvar uma jovem refém de um islamita, deu a sua vida, em troca, fato ocorrido num supermercado da cidade de Trèbes, em Aude (França). O assaltante o degolou. O padre que o havia acompanhado durante a sua recente preparação para o casamento católico, que se daria em junho, dá o seu testemunho:

“Caro Monsenhor, caros irmãos e irmãs, vós todos estais a par da alegria que senti, por ter estado no hospital, junto ao Coronel Arnaud Beltrame e sua noiva, Marielle, então, já casados no civil. Estávamos reunidos, os três, como se já tivesse chegado o momento do casamento, que eu deveria abençoar muito em breve. No entanto, em vez disso, o que celebramos, foi a unção dos enfermos no local.

Louvemos ao Senhor pela força que Ele concedeu a este homem e oficial, lembrando o “gesto generoso e heroico” do tenente-coronel Arnaud Beltrame. (...) Vós conheceis a sua bela carreira militar. Porém, o mais importante, é que ele não escondia a alegria que Deus lhe concedera, quando descobriu a fé católica. Beltrame ─ conta o sacerdote, na página Famille Chretienne ─, “viveu uma autêntica conversão, em 2008, aos 33 anos de idade. Recebeu a Primeira Comunhão e a Crisma depois de dois anos de catecumenato, em 2010”. Nós falávamos muito sobre o casamento, a evangelização, sobre o demônio e outros assuntos.

Intelectualmente brilhante, ele seguiu uma preparação para o casamento, exigente, com tanta seriedade, que força a minha admiração. Arnaud era inteligente, esportista, conversador e carismático, e gostava muito de falar sobre a sua conversão ─ acrescenta. Ele nos marcou pela sua vivacidade e sua contagiante alegria. Loquaz, era quase tagarela. Às vezes, eu tinha que interrompê-lo para que Marielle pudesse se exprimir. E ele o fazia, olhando-a sorridente e carinhosamente, pois este soldado de elite se derretia diante daquela que amava.

Sua declaração sobre a intenção de se casar na igreja, casamento que eu deveria celebrar no dia 9 de junho próximo, perto de Vannes, é admirável. O texto que escreveu, apenas 4 dias antes de sua morte heroica, prova a sua adesão incondicional e fervorosa à fé católica. E ele reza, de forma particular, a Nossa Senhora, com gratidão, pede o auxílio a São Miguel e toma São José como modelo. (...)

Arnaud sabia do risco louco que corria, entregando-se como refém ao terrorista. Mas o fez, para salvar uma vida, muitas, talvez, pois este era o seu engajamento de oficial de gendarmaria e de cristão. A crença do jihadista lhe ordenava matar. A fé cristã de Arnaud o convidava a salvar, oferecendo a própria vida caso fosse preciso. (...) Então, com Arnaud, e como ele, estejamos prontos ao sacrifício de nossas vidas por amor a nossos irmãos! Aonde existe ódio, vamos colocar o amor. Onde houver dúvida, coloquemos a fé. Onde houver desespero, coloquemos a esperança. Assim seja!” 

Padre Jean-Baptiste, cônego regular na Abadia Saint-Marie de Lagrasse (Aude, França),

Trechos de seu testemunho, na Igreja Saint-Sulpice, em Paris, na missa do coronel Beltrame, no dia, 28 de março de 2018.

É A VIRGEM MARIA MESMO !!!


São Filipe Néri (1515-1595, italiano) era, frequentemente, consultado pelos bispos, para que reconhecesse a autenticidade dos místicos.
Um dia, um de seus penitentes lhe confiou que a Virgem Santíssima vinha visitá-lo, em seu quarto, à noite, o que o enchia de alegria e de luz!... Então Filipe lhe disse: Ouça, a próxima vez que ela vier, cuspa no rosto dela...
Na noite seguinte, a aparição lhe falou sobre Deus... Porém, lembrando-se da promessa feita a seu diretor espiritual, ele começou a cuspir-lhe no rosto... A visão desapareceu imediatamente, numa nuvem de enxofre... (era o demônio).
Na mesma noite, ele tornou a acordar e o quarto estava cheio de luz, com uma nova aparição a lhe sorrir... Desta vez, ela não estava sentada sobre o leito do rapaz, mas, num ângulo do quarto e, como ele queria cuspir nela, novamente, ouviu a voz que lhe dizia: Cuspa se quiser. Ele não pôde fazê-lo, porque a aparição estava muito afastada dele... Mas, ela o felicitou pela obediência ao seu diretor espiritual...
Esta é, verdadeiramente, a Virgem Maria, declarou o Padre Néri.
FONTE: Em l’Etoile Notre Dame (A Estrela Nossa Senhora), n° 148, de outubro de 2006

CONGREGAÇÃO MARIANA MASCULINA NOSSA SENHORA DO SAGRADO CORAÇÃO E SÃO JOSÉ NA PARÓQUIA DE SÃO JOÃO BATISTA DO TAUPE EM FORTALEZA-CE


A VIRGEM SANTÍSSIMA VEM ME BUSCAR


Na década de 1950, um casal muito cristão, um dos principais editores parisienses, permaneceu 17 anos sem ter filhos. Por meio de orações, tendo obtido a graça de Deus, o casal conseguiu ter uma filhinha. Seu nome era Marta.

Esta criança, que os esposos amavam, apaixonadamente, era para eles a própria e completa alegria. Primorosa pela graça, ternura, religiosidade, a menininha se distinguia, sobretudo, pela ardente devoção à Santíssima Virgem Maria. Ela era um lírio lindo demais para a terra... Deus decidiu levá-la para o Paraíso.

Ela tinha quinze anos, então. Seus pais, em copiosas lágrimas, choravam ao lado da cama da jovem que estava morrendo. Marta mantinha-se, como sempre, delicada, gentil, paciente e sorridente. De repente, seu rosto se iluminou com uma alegria celestial: “Não chorem" ─ disse ela aos pais ─ “Eu estou vendo a Santíssima Virgem que está vindo me buscar, com os anjos”. Em seguida, a criança expirou.

FONTE: Segundo Le chapelet des enfants (O terço das crianças)